Mais de 1 perfil no Facebook? Ops, acho que não entenderam direito!

perfisredes

Marcio Carvalho *

Às vezes passo em uma cidade para bater um papo sobre redes sociais e é difícil não ouvir:

– Tenho 2 (já ouvi até 10) perfis no face, cada um com 5 mil amigos.

Neste momento vejo que estas pessoas não entenderam nada sobre a dinâmica de relações e conexões dentro do face .  Quero tratar aqui especificamente sobre conteúdos e polêmicas do mundo político e seus desdobramentos.

A ideia que algumas pessoas possuem é que o Facebook é um tipo de “depósito” onde você pode “juntar” muitas pessoas e assim se tornar importante ou até mesmo relevante. Nessa mesma lógica se acredita que quando alguém posta algo no face os pseudo 5 mil amigos (ou sei lá quantos amig@s você tem) verão o que você postou. Ledo engano, não funciona assim.

 

Primeiro, em razão da política do Facebook, uma pessoa: um perfil. Essa definição se desdobra para todo o conjunto de funcionalidades da plataforma, incluindo a criação de fanpages (negócios, comércio, empresas e similares) e a interação entre os amigos no perfil.

O perfil é algo pessoal, com conteúdo humanizado onde o internauta publica sua perspectiva de mundo, seu olhar sobre a realidade, suas angústias e anseios.

Para o contexto da política a fanpage é o local mais institucional (sem perder a linguagem da rede) onde apresentamos ideias, propostas, prestamos conta dos mandatos, apresentamos inovações, escutamos os amigos/seguidores, incorporamos nossas ideias. Mas é um espaço de trabalho!

O face quer que você interaja com as pessoas, sua relevância e popularidade será medida através destas interações.

Participei de uma reunião em Brasília pouco tempo atrás onde os diretores do Facebook apresentaram as funcionalidades, dados e estatísticas. O teto de visualização de uma postagem no face de uma pessoa sem muita popularidade não vai ultrapassar o limite dos 5% de amig@s. É possível que essa regra passe para 2% no próximo período. Se você tem 5 mil amig@s, quando você posta o limite de visualizações é de 250 pessoas.

 

Mas eu quero mais visualizações, como eu faço?

Gere conteúdos interessantes e principalmente interaja com seu público.

Para quem tem dois (ou mais) perfis, está simplesmente gastando energia à toa. Está confundindo seu público, pois não dá pra saber se é você mesmo quem publica e a tendência é o gasto absurdo de energia para gerenciar estes perfis, deixando de lado a parte estratégica de segmentação de conteúdo e interação.

Quem é detentor de mandato ou atua diretamente com ações políticas (seja no âmbito social ou partidário) precisa saber que as redes têm uma linguagem própria, muito diferente das linguagens de jornais impressos, rádios e da televisão.

 

As postagens de política tem menor interação que minhas fotos pessoais! Por quê?

Na maioria das vezes o conteúdo político é “jogado” de qualquer jeito no face, sem remixagem e sem respeitar a linguagem da própria rede.  No face por exemplo, imagens geram mais interação do que textos. Os perfis devem sempre ter conteúdo humanizado, na sociedade em rede a relação é horizontal, ou seja, eu procuro no outro alguma identidade, similaridade. Totalmente diferente das relações verticais na política tradicional, do culto ao herói, do político inalcançável.

Todo conteúdo humanizado terá mais repercussão que o institucional quadrado (modo offline)! #Fato

 

Políticos sem causas não atraem ninguém!

Quem não tem causa, entra na política para defender seus próprios interesses. Um político sério necessita de um eixo claro e objetivo, ou vários. O que você defende? Qual é o teu programa? As relações nas plataformas digitais exigem muito mais que o sorriso no rosto e o “tapinha nas costas”.

 

Dica final!

Não force seus assessores ou apoiadores a entrarem num barco furado de comunicação digital quadrada e antiquada só por que você “acha que sabe”. A comunicação digital precisa de objetivos claros, metas e tudo o que o planejamento estratégico nos ensina.

Não aconselho a fazer nas redes (ou em lugar nenhum) comunicação quadrada e chata, as pessoas já mostraram que não querem isso. Bora entender a linguagem das redes, bora desenvolver ações e projetos de comunicação interessantes e atrativos! É assim que as pessoas se tornam relevantes nas redes!

#FicaADica

 

* = CARVALHO, M. B. – Historiador formado pelas Faculdades Integradas Espírita (FIES), Curitiba- Paraná, assessor da Fundação Ulysses Guimarães Nacional – FUG. Email: marciojr8@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>