Por mais transpiração na política – reflexão de Marcio Carvalho

transpirando genizah“A genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração.” Thomas Edison

 

 

Ainda há quem acredite que o processo eleitoral resume o processo político. Como se não bastasse ainda existem aqueles que acreditem que a vitória eleitoral é a etapa final do processo.  Quando essa versão superficial não é combatida acabar por imperar um estado de letargia1 na ação púbica e política.

O processo eleitoral é somente uma etapa intermediária do processo político, não é o início nem o final. O processo político se inicia com as demandas da sociedade, com as necessidades que a realidade nos impõe para melhorar a vida da população. Os partidos são (ou deveriam ser) a representação democrática e plural de ideias e ideais que serão concretizados através da vitória eleitoral, seja direta ou por composição.

Quando se desvirtua esse processo a política fica refém do personalismo, de uma ação que podemos chamar de “fulanização”.

A consequência natural quando o processo de “fulanização” acaba por obter uma vitória eleitoral é a inexistência de projetos concretos que possam transformar a realidade. Tanto a ação política quanto a pública são pautadas pela superficialidade e mediocridade.

Debates intermináveis, reuniões sem pauta e sem objetivos são marcas claras desse processo.

Em um mundo cada vez mais exigente de respostas rápidas e eficientes não existe mais espaço para um debate onde não se tenha um projeto político claro. Causas e bandeiras são cada vez mais necessárias, pois expressam os anseios da sociedade. Mas os projetos para o município e os estados estão intimamente ligados ao projeto nacional. Assim temos causas e bandeiras, projeto de desenvolvimento para o país que com certeza não serão executados com a dinâmica do processo de “fulanização”.

Então é necessário que, tanto para o processo de construção de propostas quanto na ação de execução das políticas, se transpire muito mais. Seja para o debate das ações, seja para ter o bom senso de respeitar prazos e cumprir metas.

A ação política e pública é um serviço voluntário que prestamos para melhorar a vida da população. Este serviço deve ter limites e fronteiras para servir ao povo, não somente ao prestador do serviço.

Esta deve ser a nossa prática.

A luta continua!

 

“É preciso trabalhar e vejo que não se fala quase senão em política que é as mais das vezes guerra entre interesses individuais.” Dom Pedro II

 

Marcio Carvalho (CARVALHO, M. B. ) – Historiador e Coordenador do Projeto CONEXÕES

 

1= Letargia: s.f. Psicopatologia. Condição intensa e demorada de inconsciência que, se assemelhando ao sono profundo, possibilita que a pessoa seja despertada, mas esta volta a mesma condição logo após. P.ext. Ausência de capacidade para assimilar ou responder às sensações emocionais, aos sentimentos, às emoções; desinteresse: a letargia de uma sociedade adormecia pelos abusos do governo. Figurado. Ausência de ânimo; preguiça: tirar o filho da letargia. (Etm. do grego: lethargía)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>